terça-feira, 29 de junho de 2010

I do not know!!!

Começou como ma brincadeira, com um apenas “ficar”. Um ficar qualquer como esses que sempre passam por nossas vidas e sequer deixam sinais de vestígios.
190420101546-001E com o passar dos meses…
Foi ficando assim meio que um relacionamento mais que constante. Não chegou a ser um relacionamento sério, daqueles que denominamos “namoro”, mas certamente nos envolveu em um sentimento mais que profundo.
Sabe quando você fica ofegante só de estar perto ou mesmo sem ar quando coloca o pensamento no ser que te tira o raciciocínio?
Que te tira do sério pois você está confusa por não saber o que acontece entre os seres envolvidos ou pelo menos tenta não saber para que tudo continue do jeito que está e que se possa viver sem se envolver tanto?
Mais a grande incógnita que ficou depois de todo esse tempo é meio que uma crise de identidade, pois sem saber “O que somos?”, “Quem somos um para o outro?”, “O que esperamos um do outro?” e até mesmo se “Queremos um futuro bom para nós?”.
Não sei bem como colocar as palavras aqui, mas certamente, estou mais confusa que quebra cabeça em mais de suas 5 mil peças.
O que fazer? Não Sei! I do not know!
Tudo fica embaralhado quando começo a pensar na situação. A preocupação de conhecê-lo melhor e sentir a situação me deixa ainda mais preocupada. As vezes posso ser invasiva demais ao tentar compreender as coisas, mais ao mesmo tempo posso parecer tola em não compreender nada!
Queria poder ter a fórmula mágica para saber o que se passa em mim. O que se passa entre a gente. Segundo Paula Toller, pode ser:
“… Não posso compreender, não faz nenhum efeito
A minha aparição será que errei na mão
As coisas são mais fáceis na televisão…”
Reações:

2 comentários:

Postar um comentário