quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Série Las Vegas - A cidade que não dorme

A “jóia do deserto” como é chamada, seduz pelo brilho de luzes ofuscantes e encanta por inúmeros entretenimentos. Na avenida principal, a Las Vegas Boulevard, é possível sentir-se um cidadão do mundo e visitar diferentes culturas num só lugar.
Foto: Cínthia Ramos
Lojas incríveis, como a da Harley- Davidson e seu jardim personalizado, com gramas cortadas em forma de motos, (além da verdadeira que nos dá a impressão de estar saindo do letreiro!) e da Pepsi com sum muro de escalada interno, nos impressionam. Hotéis- cassino, todos temáticos, estão espalhados por todos os lados representando símbolos nacionais como o Paris com sua Torre Eiffel, os canais de Veneza do Venetian Resort, e a Estátua da Liberdade no New York, New York.

Neste último tive o prazer de me hospedar, e ganhar de presente um tour pela montanha russa mais emocionante que já vi! Os hotéis parecem shoppings centers,imensos. Todos com muitas lojas e opções variadas, incentivando o que a cidade transpira: o consumo. Para se ter ideia, somente no quinto dia, quando terminava a viagem, encontrei o caminho mais curto para o estacionamento, uns cinco minutos a menos do percurso que eu fazia...

Os cassinos estão por toda a parte, e as paredes são ocas, parecem não ser construídas de tijolos, e sim de agilidade (surgem com muita rapidez!). Lá, todas as janelas abrem somente para ventilação. A culpa? Das roletas e jogos de cassino, onde se perde a noção do tempo, do dinheiro e algumas vezes, da vida. O índice de suicídios é tão grande que nós, turistas, não podemos debruçar para ver um ângulo melhor da cidade, lá do alto da janela.

    Foto

Casar em Las Vegas é o que há de mais divertido, extravagante, e fácil. Sim, eu disse: fácil! Não que lá se tenham mais pretendentes à solta, mas existe até noiva à espera de um ônibus depois do ato consumado. A cena mais inusitada da minha vida foi olhar para o ponto de ônibus da Las Vegas Boulevard e ver uma mulher com um vestudo lindo e um buquê na mão, ali, sentada a lado do noivo aguardando o bus. Surreal, não? Em Las Vegas tudo é possível, acreditem. Em qualquer hotel existe uma “Wedding Chapel”, espécie de capela para a cerimônia, que funciona 24 horas, e acho que nem as testemunhas são presença obrigatória para a realização da cerimônia...

Ela poderia escolher ao menos o Monorail, um trem gratuito que circula na cidade, onde as estações de parada e acesso são os hotéis. O MGM ficava em frente ao New York, New York, e contava com um mini-parque temático interno, além de uma loja chamada RunForest, que retrata o Brasil como se fosse somente as matas, florestas e ocas da Amazônia. Uma pena a imagem que exportamos... CDs e DVDs de samba, com mulheres de fio dental na capa, era o que e expunha. O que me alegrou foi ouvir ao menos Caetano e Tom Jobim na trilha sonora da loja, em meio as macacos e trovoadas com barulhos e luzes de tempestades reais.

Minha alegria durou pouco. Ao comprar souvenirs para meus amigos e família, o vendedor me perguntou a nacionalidade, e não contente em saber que era brasileira, queria saber de qual cidade eu vinha. Quando falei Rio de Janeiro, pasmem: Ele me olhou como se fosse a Globeleza (por assim dizer...), e disse: Ohhh, Rio de Janeiro, samba, carnival! Quase lembrei a ele que a cidade do pecado não é o Rio, e sim Las Vegas, mas preferi me manter incomunicável depois disso.

A recompensa veio ao ver o lugar mais lindo do deserto: Bellaggio. O hotel é simplesmente cinematográfico, no sentido literal da palavra. Cenário de “Onze Homens e um segredo”, possui uma escada em mármore e um jardim de inverno inesquecíveis a qualquer visão. E o show das águas, apresentado gratuitamente em seu lago às margens da Boulevard, é indescritível. Ao som de “Singing in the rain”, vi o espetáculo mais perfeito e encantador, com jatos imensos de águas dançando em sincronia com som e luz. Chorei, como quase todos ao redor.

No Caesar Palace, estátuas de mármore falam e gesticulam, abaixo de um céu perfeito. Julio Cesar e companhia são atores (estátuas) de uma peça teatral, dentro do hotel onde o teto é pintando como o céu grego. Como eles conseguem fazer mármore ser maleável?Não descobri, quem souber me conte! Só sei que foi mágico, e gratuito também.

Por todas as emoções possíveis de causar, um dia em Las Vegas vale mais que uma semana em qualquer lugar do mundo. Se quer cultura e diversão, este é o lugar!

*Post enviado por Cínthia Ramos

Share:

RECEBA NOSSAS ATUALIZAÇÕES

Garanta seu Seguro Viagem

Reserve Já seu Hotel

Booking.com